15 49.0138 8.38624 arrow 1 arrow 0 4000 1 0 horizontal https://professoresdosucesso.com.br 300 0 1
theme-sticky-logo-alt
Please assign a Header Menu.
Compreenda o que aconteceu e siga em frente
26 de abril de 2013

Compreenda o que aconteceu e siga em frente

[fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”]

Compreenda o que aconteceu e siga em frente

Compreenda o que aconteceu e siga em frente

É muito comum vermos alguém remoendo algo que lhe aconteceu.

É como se ela estivesse presa àquela história eternamente.

Fazer isso não irá mudar o que aconteceu e, principalmente, não permitirá que elas vejam as grandes oportunidades que estão à sua frente.

“Habitar nas decisões erradas do passado apenas faz com que essas decisões continuem definindo quem você é. Perdoe-se e siga em frente.”

Sempre que tomamos uma decisão, ela sempre será a melhor possível. Pelo menos no instante que decidimos. Pode ser que depois de alguns segundos, minutos, dias ou anos cheguemos à conclusão de que poderíamos ter feito uma escolha melhor. Porém, mesmo que se tenha passado somente alguns segundos, já seremos uma nova pessoa com novas informações e a velha decisão não fará mais sentido.

Isso faz sentido para você?

Pense um pouco melhor sobre a última grande decisão que tomou. Volte no momento em que decidiu e perceba se você não tinha absoluta certeza de que era o melhor a ser feito naquele exato momento. Eu aposto que sim.

Quando continuamos carregando o peso daquilo que chamamos más decisões passadas não nos libertamos para as oportunidades do futuro. Imagine-se carregando um grande saco com todas as decisões que você hoje rotula de “erradas”. Sua caminhada seria mais tranquila e ágil ou pesada e lenta? Carregar essa culpa te ajuda ou te atrapalha?

É muito importante que consigamos compreender aquilo que nos acontece, compreender que não existem erros, apenas resultados. E que esses resultados nem sempre serão aquilo que esperávamos quando tomamos determinada decisão. A partir do momento que conseguimos ter uma nova visão sobre aquilo que nos aconteceu, podemos seguir em frente, deixando para trás o que ocorreu.

Seguir em frente é a única coisa que realmente pode nos trazer algo de positivo. Isso porque estamos abertos ao novo. Estamos à espera de novas oportunidades. Estamos prontos para novos desafios e preparados para os resultados que virão.

Aproveito para compartilhar uma pequena história que conheço há um bom tempo sobre aquilo que carregamos conosco:

Cuidado com o que você carrega

Dois monges vinham andando por uma estrada barrenta, e após algumas horas caminhando, avistaram uma mulher, que estava vestindo um vestido de seda lindo, parada de frente para uma grande poça de lama que pegava de um lado à outro da rua.

Um dos monges se aproximou dela e perguntou:

– Bom dia linda mulher, posso ajudá-la?

A mulher respondeu-lhe em prantos:

– Sim, eu tenho que ir a uma festa e não posso me sujar.

O monge olhando para ela lhe disse:

– Isso não é problema eu levo você até o outro lado.

E o monge colocou a mulher envolta de seu pescoço e a carregou até o outro lado, chegando lá ela agradeceu e os monges seguiram viagem.

Em um momento o outro monge olha para o amigo e lhe diz:

– Amigo você sabe que a nossa religião proíbe chegarmos perto de uma mulher, quanto mais manter um contato como você manteve.

O monge que tinha ajudado a mulher olha para o amigo com um olhar de espanto, e continua a viagem… mais à frente o monge para o amigo e exclama:

– Imagina a reação do mestre ao saber que você tocou em uma mulher…

Mais uma vez o monge olha para ele e continua a viagem. Mais na frente mais uma vez o monge para o amigo e diz:

– Amigo… não creio que você tocou naquela mulher… nossa! Não posso nem pensar na reação dos outros monges ao saber disto!

O monge já demonstrando em sua face que não estava gostando daquela pressão, olha nos olhos do amigo e continua a viagem.

Sem perceber isto mais uma vez ele é parado pelo seu companheiro que diz:

– Você sabe que… O outro monge interrompe dizendo:

– Amigo… eu peguei a mulher de um lado da lama, a carreguei e a deixei do outro lado, mas você vem trazendo ela desde de lá…

E você? O que vem carregando de inutilidades consigo nesta jornada chamada vida?

Forte Abraço,

André Cruz[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]