15 49.0138 8.38624 arrow 1 arrow 0 4000 1 0 horizontal https://professoresdosucesso.com.br 300 0 1
theme-sticky-logo-alt
Please assign a Header Menu.
Aprenda a identificar seus gastos supérfluos
3 de maio de 2020

Aprenda a identificar seus gastos supérfluos

Os gastos supérfluos são os vilões do orçamento familiar. Eles são os responsáveis pela maioria dos problemas  financeiros que as pessoas passam.

Saber identificar os gastos supérfluos é o primeiro passo para equilibrar as finanças pessoais.

Mas como identificar os gastos supérfluos? Esta pergunta pode ter várias respostas, porém ela é mais simples do que parece.

Como identificar gastos supérfluos

Primeiro, vamos entender o que são gastos supérfluos e como eles nos assombram no fim do mês.

Gosto de definir os gastos supérfluos de uma maneira rápida e direta: são despesas que temos no decorrer do nosso dia a dia, que não são realmente necessárias.

Mas, nem sempre, eles estão tão escancarados na nossa frente, e encontrá-los no meio das contas no fim do mês pode exigir certo esforço. Para isto, vou contar a vocês algumas dicas que eu sigo:

Ter um objetivo claro e preciso

Não adianta se prender a um objetivo vago, como “vou economizar dinheiro neste ano”. Seja o mais direto que puder consigo mesmo.

Metas claras e precisas são mais eficazes por serem mensuráveis. Para o nosso caso, lidar com números é mais simples do que com desejos. Quando você consegue ver o progresso, fica mais fácil de saber o momento certo de tomar atitudes.

Antes de pagar suas contas, pague você mesmo

Naturalmente, todos nós temos o hábito de pagar nossas contas antes de qualquer outra coisa, no começo do mês. O que parece um hábito comum, pode ser prejudicial. Por isso, eu recomendo que você separe o dinheiro para suas metas antes de começar a conferir os boletos mensais.

O motivo é bem prático: quando você garante a quantia que você pretende investir ou reservar para o futuro, você aprende a se adaptar com menos, e assim, identifica hábitos e compras consideradas supérfluas.

Um olho no prato, outro na carteira

No nosso dia a dia, consumimos muito com alimentação, quase sempre sem se dar conta. Você já colocou no papel quanto gasta com almoços, lanches e outras refeições, principalmente fora de casa?

Muitas vezes, não sentimos uma diferença grande, mas quando o fim do mês bate na porta, ele cobra seu preço.

Dê preferência para as refeições caseiras quando possível, e você verá a economia que pode fazer.

O lazer é importante, mas…

Vamos ser sinceros: você realmente precisa sair todos os fins de semana? E aquele plano de TV a cabo com 300 canais (que você não conhece nem a metade)? Seja sincero com você mesmo, e descubra o que realmente é necessário para se divertir e relaxar.

Deixar de ir ao barzinho com a turma sempre, também, não é a solução. Neste ponto, minha dica é a seguinte: você deve saber a hora de poupar, e a hora de gastar — sempre com equilíbrio!

Depois de algum tempo, você deve chegar a uma conclusão como a que e cheguei: não existe uma fórmula secreta. Cada um conhece a sua rotina, e sabe onde pode economizar, evitando gastos supérfluos. Para isso, antes de tudo, precisamos de autoconhecimento!

Depois de todas estas dicas, o que você achou? Tem alguma outra sugestão que não foi citada acima e quer compartilhar? Deixe o seu comentário abaixo.

Professora e Coach do Professores do Sucesso