15 49.0138 8.38624 arrow 1 arrow 0 4000 1 0 horizontal https://professoresdosucesso.com.br 300 0 1
theme-sticky-logo-alt
Please assign a Header Menu.
A conquista é proporcional à sua persistência
24 de abril de 2015

A conquista é proporcional à sua persistência

A conquista é proporcional à sua persistência

Conheço pessoas que passam a vida toda insistindo em seus projetos e sonhos, mas não conseguem ter sucesso em nenhum deles. O ponto que eu quero levantar hoje não é o de que acho errado tentar ou se aventurar em um projeto, muito pelo contrário. Quero mostrar o seguinte: não adianta que a pessoa insista em algo sem corrigir seus erros, aprender com eles e aprumar o rumo.

Basicamente, insistir é fazer as coisas de maneira repetitiva, até obter uma resposta. Para muitos, a maneira mais adequada é a tentativa e o erro até alcançar o acerto. Insistir é também continuar acreditando, pensando e fazendo as coisas que você acha certas, apesar da evidência do contrário. Mas para tudo nesta vida é preciso aprendizado e, principalmente, saber onde quer chegar.

Se identificou ou conhece alguém assim?

Pois é, então vamos aos fatos: se você tem a vontade para continuar tentando, especialmente quando tudo parece não dar certo, ótimo. Mas é preciso identificar e saber diferenciar a insistência da persistência.

Persistir e insistir, apesar de serem palavras parecidas em termos de ação, são consideravelmente diferentes no significado e com resultados bem distintos. Ambas podem ter a conotação de “não desistir de uma ação”, mas isso depende muito da maneira que você aplica.

Veja a minha opinião e experiência prática sobre esta diferença:

Insistência: é tentar, tentar e tentar, sem tempo para planejar e corrigir os erros e seguir tentando até acertar ou errar novamente. Pode ser que você consiga ou não, pois o resultado vai depender de várias circunstâncias.

Persistência: para cada falha, você deve se beneficiar e usar esse aprendizado para adaptá-lo para o passo seguinte. Ou seja, tentar e tentar novamente, sim, mas de forma pensada. Se cometer erros, que sejam novos e não os já cometidos.

Um exemplo que eu gosto muito de mostrar para que se entenda a diferença entre as duas coisas, é o do Max Levchin, que disse que falhou muito antes de conseguir seu maior feito. Na verdade, Levchin foi persistente:

A primeira empresa que abri deu completamente errado.
A segunda deu menos errado, mas ainda assim deu errado.
A terceira, sabe, foi um fracasso, mas ok. Me recuperei rápido.
A quarta quase não fracassou. Mas ainda não foi grande, bem normal.
A quinta foi o PayPal.

(Max Levchin, co-fundador do PayPal)

A tentativa é amiga da conquista. A diferença entre uma pessoa de sucesso (pelo seu próprio esforço) e uma pessoa fracassada é o número de tentativas, decepções, provações, problemas e, principalmente, de correções. Adquirimos muito mais sabedoria com o fracasso do que com o sucesso.

Resumindo: em minha opinião, a persistência é o fator diferencial que separa as pessoas vencedoras das perdedoras.