8 erros no planejamento financeiro que você não pode cometer!

8 erros no planejamento financeiro que você não pode cometer!

Controlar as finanças é, com certeza, um grande desafio para a maioria das pessoas. O planejamento financeiro se tornou uma ferramenta de extrema importância para o gerenciamento dos nossos rendimentos, porém, nem sempre é possível evitar alguns erros que são capazes de colocar em risco o nosso próprio orçamento.

Todos nós sabemos que o planejamento sempre será a melhor alternativa para organizar o pagamento de contas, economizar dinheiro e até mesmo tomar decisões importantes sobre investimentos. Por esse motivo, quando o planejamento é realizado de uma maneira inadequada, não conseguimos controlar os rendimentos e, assim, ficamos impedidos de fazer os cálculos certos e obter os resultados necessários para atingir os objetivos propostos.

Devido a isso, para evitar que essas falhas continuem sendo obstáculos para organizar nossas finanças, confira 8 erros no planejamento financeiro que você não pode cometer!

Não classificar as despesas

Não conseguir classificar as nossas despesas é um dos erros mais prejudiciais ao orçamento e também um dos mais cometidos por todos nós. Diante desse cenário, a tendência é misturar os rendimentos pessoais e até mesmo empresariais, permitindo que os cálculos sejam realizados de uma forma inadequada. Para evitar essa falha e não prejudicar os resultados do planejamento, é necessário separar as despesas como fixas e variáveis.

Para que possamos entender melhor, vale a pena saber que as despesas fixas são aquelas que já fazem parte da nossa rotina de pagamentos, como conta de água, luz, telefone, fornecedores, etc. Por outro lado, as contas variáveis pertencem aos gastos que são imprevisíveis, como almoço, lazer, entre outros. No entanto, quando não são bem separados em suas respectivas categorias, todo o planejamento pode ser comprometido.

Não ter uma reserva financeira

Com certeza, você conhece alguém que não possui uma reserva financeira! Separar um determinado valor para suprir os momentos de instabilidade é a decisão mais inteligente, seja qual for a sua realidade. Você já ouviu falar que prevenir é melhor que remediar? Para o planejamento financeiro esse ditado aplica-se muito bem, já que reservar uma quantia para emergências é uma boa alternativa para evitar crises.

Lembre-se que, ao manter uma reserva financeira, você evita descontrolar suas finanças e garante que nenhum tipo de imprevisto afete o orçamento pessoal ou da sua empresa.

Não registrar todas as transações

Se o seu objetivo é economizar, investir ou até mesmo “sair do vermelho”, não cometa o erro de não anotar todos os gastos. Apesar de desafiador, ao anotar suas despesas, ficará mais fácil identificar onde o dinheiro está sendo gasto e quais as categorias que podem ser cortadas ou melhor investidas.

Por mais simples que seja a aquisição, todos os gastos são responsáveis por completar sua planilha de controle e, assim, precisam estar listados corretamente. Uma dica é utilizar planilhas do Excel ou softwares adequados que possam oferecer o suporte necessário para as anotações e cálculos.

Não avaliar o desempenho

Você já preencheu várias planilhas do seu planejamento, mas ainda não “tirou um tempo” para analisar o conteúdo? Apenas anotar todos os gastos sem analisar os resultados ainda é uma falha grande, cometida pela maioria de nós, empresários, gestores e pessoas comuns. Diversas pessoas não analisam o próprio planejamento estratégico e, por isso, perdem informações que podem ser muito importantes para compreender onde o dinheiro está sendo gasto e quais são os reais lucros obtidos.

Ficar apenas preocupado em anotar cada mínimo detalhe não é suficiente para um bom planejamento, sendo essencial fazer relatórios ― semanais, mensais ou trimestrais ― a fim de identificar as principais despesas, possíveis reservas, contas desnecessárias, etc.

Ser indisciplinado

Esquecer de anotar uma despesa em um dia é normal, porém, quando o planejamento financeiro não é visto como uma ferramenta de extrema importância, podem ocorrer desatualizações constantes, cálculos mensurados de forma inadequada e até mesmo prejuízos financeiros ao longo do tempo, devido ao descontrole.

A indisciplina é um dos principais motivos para a desistência do gerenciamento de finanças. Assim como acontece com qualquer pessoa, é fácil deixar que os outros compromissos e preocupações cotidianas fiquem em primeiro lugar, no entanto, é necessário considerar que o planejamento só apresentará bons resultados para nossas finanças caso seja manuseado da forma correta.

Não traçar objetivos

Algumas pessoas fazem o planejamento financeiro para obter autonomia e conseguir investir em um bom negócio futuramente, outras pretendem colocar as contas atrasadas em dia, mas e você? Qual é o seu objetivo? Todos nós precisamos ter metas claras diante do controle financeiro, somente assim poderemos definir a verdadeira utilidade do planejamento.

Você pode querer poupar recursos para investir em uma viagem ou até mesmo organizar o fluxo de caixa da sua empresa. Seja qual for o motivo, ele precisa estar bem esclarecido. Montar um planejamento sem uma meta específica não é recomendado em nenhuma hipótese, já que ter planos a curto, médio e longo prazo é a melhor motivação para conseguir alcançar os resultados esperados.

Errar nas estimativas de gastos

Prever os futuros gastos é uma decisão que pode ajudar a controlar os gastos e mensurá-los corretamente. Entretanto, as estimativas de gastos não podem ser previstas erroneamente, pois isso, certamente, irá interferir no resultado final.

Sendo assim, antes de prever qualquer despesa, é importante avaliar o comportamento desse gasto. Vale lembrar que, os valores não são fixos, eles podem variar de acordo com cada mês, com isso, faça uma estimativa aproximada e conte também com despesas adicionais que podem ocorrer, imprevistos, evitando errar nos cálculos e passar por um momento de instabilidade financeira.

Uma ótima dica que merece sempre ser seguida é: jogue o valor das despesas para cima, e o dos ganhos para baixo, assim, possibilidade de uma surpresa desagradável diminuiu consideravelmente.

Não automatizar os processos

Muitas pessoas começam a fazer seu planejamento financeiro a partir de pequenas anotações em cadernos. Apesar de ser bastante simples, as anotações nesse tipo de ferramenta podem impedir o progresso financeiro, já que é possível esquecer com mais facilidade, além de ter que fazer cálculos manuais.

A melhor alternativa para fazer um eficiente planejamento financeiro é através de planilhas. Diversas pessoas ainda usam os recursos do Excel, porém, com o avanço da tecnologia e mobilidade via celular, é possível encontrar planilhas e aplicativos que oferecem várias funcionalidades, incluindo cálculos automáticos, integração entre contas bancárias, uso de gráficos e projeções mais assertivas. Seguindo essas dicas, certamente vai ficar mais fácil fazer o planejamento das suas finanças.

Aprendeu todos os erros do planejamento financeiro que você não pode cometer? Então, aproveite nosso artigo Finanças pessoais e finanças da empresa: como deve ser essa relação para aprender muito mais!

BAIXE NOSSO EBOOK GRÁTIS

PROSPERIDADE FINANCEIRA NA PRÁTICA

O guia "Prosperidade Financeira na Prática" vai ajudar você a se livrar das dívidas, ajustar o orçamento e conquistar prosperidade financeira.

BAIXE O EBOOK AGORA

By | 2017-01-30T21:15:29+00:00 2 de maio de 2016|Educação Financeira, Sucesso Financeiro|