Como juntar dinheiro?

37550-como-juntar-dinheiro

Hoje quero conversar com você a respeito dos seus sonhos. Quantos projetos você teme não conseguir realizar por não ter o dinheiro necessário? Quantas vezes pensou em organizar suas contas, mas não teve ânimo para começar? Neste post, vou te mostrar como juntar dinheiro em alguns passos.

Primeiramente, faça uma reflexão: para quê você quer juntar dinheiro? Liste seus objetivos e mensure o quanto precisaria juntar para realizá-los. Essa reflexão será de suma importância para te motivar a colocar em prática as dicas que irei apresentar.

Controle seus gastos

Você se sente desconfortável com a palavra “orçamento”? Muitas pessoas adiam seus sonhos apenas pela resistência em colocar no papel os gastos e levar a sério as finanças pessoais. Não seja mais um dos que repetem o discurso de que podem mudar quando quiserem, mas que a mudança nunca chega!

Vamos lá? Durante um mês, faça um registro detalhado de todos os seus gastos, não se esquecendo dos menores que sejam. No final do período, faça as contas: você certamente vai se surpreender com a quantidade de dinheiro que gastou sem perceber e o impacto que as pequenas despesas provocaram no seu orçamento.

Feito esse exercício, procure traçar um planejamento para o mês seguinte. Veja o que pode ser cortado em prol dos seus sonhos e estabeleça uma quantia a ser poupada, mesmo que pequena. Um pequeno passo nesse momento será de grande importância no futuro!

Defina o quanto você vai juntar a cada mês

Um erro muito comum entre as pessoas que não conseguem juntar dinheiro é esperar para guardar as sobras no final do mês. O problema nessa prática é que, caso não sobre dinheiro, não haverá o que juntar.

Assuma um compromisso consigo e defina, antes de tudo, o quanto você deseja juntar no mês, invista o valor e só depois comece a gastar. Claro que manter a disciplina e não mexer no que foi separado é fundamental, mas tenha em mente os seus objetivos e a certeza de que o esforço valerá a pena.

Procure quitar suas dívidas

Não há como fugir da realidade: as dívidas comprometem a sua renda mensal e, consequentemente, a sua capacidade de juntar dinheiro. Pagar as dívidas é um passo fundamental nesse processo. As de valores mais altos, que representam um impacto maior no orçamento, devem ser priorizadas.

Uma medida interessante é a substituição das dívidas de juros maiores por outras de juros mais baixos. Contrair um empréstimo pessoal pode ser uma alternativa para fugir das altíssimas taxas de juros do cartão de crédito, por exemplo. O importante aqui é diminuir o valor comprometido de sua renda, para que a economia seja mais eficiente.

Junte primeiro e compre depois

Sabia que a ansiedade é um dos maiores inimigos do seu bolso? Pois vou te contar um segredo: as piores decisões são tomadas por impulso. Se você tem um desejo de consumo, considere a possibilidade de juntar primeiro o dinheiro necessário e realizar a compra à vista.

Em boa parte dos casos, só os valores pagos aos bancos a título de juros seriam suficientes para comprar outro bem ou produto de igual valor — ou seja, você acaba pagando duas vezes. Basta simular a contratação de um financiamento e fazer a comparação para comprovar as vantagens de se optar por juntar dinheiro.

Faça desses passos o pontapé inicial para o equilíbrio das contas. Você pode se aprofundar ainda mais sobre o tema e aprender de vez a lidar com o dinheiro no curso Sucesso Financeiro na Prática.

Gostou dessas dicas? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de outros conteúdos como este!

BAIXE NOSSO EBOOK GRÁTIS

PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL

Neste e-book você terá acesso às melhores práticas para se planejar financeiramente. Do controle de contas a aprender como entender e controlar as despesas fixas e variáveis, passando por como definir prioridades e identificar gastos supérfluos, que podem comprometer o orçamento.

BAIXE O EBOOK AGORA

By | 2017-01-02T11:59:28+00:00 3 de outubro de 2016|Educação Financeira, Sucesso Financeiro|